O mundo dos negócios está em constante evolução. O surgimento de novas tecnologias tem significativamente contribuído para essa afirmação. Atualmente, vivemos um momento de intensa virtualização de serviços, isso graças à expansão de diversos tipos de computação em nuvem.

A Cloud Computing ou computação em nuvem, nada mais é do que um conceito que possibilita que uma empresa ou usuário comum, possam rodar aplicações de diferentes tipos, de forma remota, via internet, sem que estas estejam instaladas em dispositivos locais.

Essa tecnologia pode aumentar a segurança, otimizar e modernizar a rotina de operação da sua empresa, poupando recursos materiais e humanos, além de poupar tempo.

Pensando em te ajudar a entender um pouco mais sobre o assunto, nesse post vamos falar sobre alguns tipos de computação em nuvem. Continue lendo e confira!

Iaas (Infrastructure as a Service)

Esse é o tipo de computação em nuvem mais comum. Também conhecido como “infraestrutura como serviço”, define o modelo em que o cliente contrata da prestadora de serviço a utilização de recursos físicos, como hardware, servidores, espaço de armazenamento ou recursos de rede, por exemplo.

Nesse modelo de computação em nuvem o cliente paga para utilizar a infraestrutura, conforme a sua necessidade, podendo variar, de forma que seja cobrado pelo que efetivamente utilizou. A cobrança é baseada na quantidade de recursos físicos que utilizará, como por exemplo a quantidade de servidores e de dados que trafegarão.

O grande exemplo de contratação desse modelo de computação em nuvem é o aluguel de servidores para hospedagem de sites.

PaaS (Plataform as a Service)

A disponibilidade desse serviço já é um pouco diferente se comparado aos outros tipos. A PaaS, ou “plataforma como serviço”, é o modelo que fica entre a IaaS e a SaaS. Nele há uma plataforma mais elaborada e adaptável para a utilização de diversos recursos tecnológicos, como softwares e hardwares.

Nesse modelo a sua empresa tem à disposição os recursos necessários para que possa desenvolver as suas aplicações. Desse modo, não é necessário que invista em hardware ou em licenças de softwares e etc., pois, tudo isso estará disponível como um serviço.

SaaS (Software as a Service)

Este é o modelo no qual a utilização de um serviço não necessariamente está relacionada a compra de licenças para uso do software.

O “software como serviço”– como é conhecido por aqui – é exatamente o que o seu nome induz. Na prática você tem um software a disposição para utilizar, contudo só será cobrado pelos serviços que este mesmo software lhe prestar.

Para deixar as coisas mais claras, tomemos como exemplo a empresa Salesforce, que atua no desenvolvimento de aplicativos voltados para negócios – CRM –, e que utiliza da nuvem para disponibilizá-los. Tal empresa é pioneira no seguimento e desde a sua fundação se vale do modelo SaaS para desenvolver suas atividades.

Esses são os tipos de computação em nuvem mais comuns atualmente. Todos eles podem ser implantados por meio de nuvens públicas, cujo serviço é fornecido de forma compartilhada a vários usuários, por meio da internet; nuvens privadas, que são as desenvolvidas e customizadas para atender um determinado usuário, e que têm controle sobre todos os seus recursos e, por último, como nuvens híbridas, que é um sistema mesclado, no qual o usuário pode estabelecer e utilizar as melhores características das duas espécies de nuvem.

E aí, gostou das informações trazidas no texto? Tem interesse em saber mais, ou ainda tem alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo! Será um prazer poder ajudá-lo!