O enorme volume de dados estruturados ou não estruturados que sua empresa pode armazenar é uma peça estratégica para atrair e reter clientes em tempos de crise. Mas também é um enorme desafio para os profissionais que precisam filtrar informações úteis em meio a um tsunami de dados.

Conheça agora 3 maneiras de usar Big Data corretamente e torne sua empresa mais competitiva!

Previsões de mercado

Diferentemente do Business Intelligence (BI), que analisa o passado, o Big Data tem como objetivo prever as tendências e se colocar sempre um passo a frente do mercado, tudo com base em evidências analisadas continuamente.

A analise em tempo real garante que você tenha mais confiança e agilidade nos momentos de tomada da decisão. Além de um melhor embasamento para realizar as escolhas mais adequadas e montar cenários mais precisos.

Para jogar em alto nível, é preciso olhar não apenas os dados isolados, mas também obter insights por meio do cruzamento das informações de diferentes fontes. Um restaurante pode comparar quais são os pedidos mais frequentes por dia e quais são as condições meteorológicas de cada um desses dias. Essa informação pode ajudar na confecção de ofertas e preparação da demanda de acordo com a previsão do tempo.

Microsegmentação

Com o profundo e variado conhecimento que é possível ter sobre os hábitos dos clientes, já não faz mais sentido realizar a segmentação exclusivamente em grupos amplos. Entramos na era da microsegmentação, agora é possível montar e trabalhar com inúmeros perfis de público e adaptar sua comunicação e oferta de acordo com as necessidades e contextos de cada um.

Quem trabalha no segmento de e-commerce pode se valer de vários ‘data points’ para analisar as preferências de cada cliente, e com base neles personalizar quais produtos destacar para cada tipo de usuário. A relevância aumenta e com ela as taxas de conversão, além de ajudar a manter os visitantes e o tráfego pelo maior tempo possível.

Identificação de problemas

Em 2010, um surto de cólera assolou o Haiti. A melhor forma de conter qualquer epidemia é identificar sua origem, mas como fazer isso em um país em estado de caos após um terremoto?

O Twitter e a ONU recorreram ao uso do Big Data em um esforço inédito de mapeamento das mensagens dos usuários haitianos. As informações levaram os cientistas de dados até um grupo de nepaleses que estavam em um acampamento da Organização das Nações Unidas (ONU).

O Haiti não tinha histórico de cólera, mas o Nepal sim. Um exame genético revelou que a doença era de fato uma mutação do vírus nepalês, de posse desse dados os agentes de saúde conseguiram ser mais precisos na contenção do surto.

Com a ferramenta certa em mão e o olhar de um especialista, logo você também conseguirá identificar as fontes dos problemas da sua empresa por meio de dados.

Vivemos uma nova era das relações de consumo, da tecnologia e da informação, por isso é preciso estudar e procurar por ferramentas úteis para aumentar sua competitividade por meio da filtragem e modelagem de informações úteis para a empresa.

Conhece outras maneiras de usar o Big Data nos negócios? Ficou alguma dúvida? Deixe um comentário!