A sigla CAC vem do inglês Customer Aquisition Cost, ou seja, diz respeito ao Custo de Aquisição do Cliente usado no processo de venda. Entender como calcular esse custo é fundamental para que uma empresa consiga precisar o orçamento de marketing e as metas de vendas, assim como otimizar os resultados.

Portanto, é preciso ter um controle de quantos novos clientes entram mensalmente, além de todas as ações que são feitas para trazer esses possíveis novos clientes à sua base, como marketing, campanhas, SEO, call center, anúncios, redes sociais, e-mail marketing, promoções online e offline, entre outras. Para entender melhor como encontrar o Custo de Aquisição de Cliente e qual é a sua importância, continue lendo este post!

Qual é a importância de medir o custo de aquisição de cliente no processo de vendas?

O CAC é importante para medir o balanço entre os custos operacionais e o preço cobrado, de modo que o negócio não perca dinheiro toda vez que um cliente assinar um contrato.

Basicamente, a viabilidade de uma empresa depende de dois pontos variáveis: o Custo de Aquisição de Cliente e o LTV (Life Time Value). Este último se refere ao valor e recorrência de compra de um único cliente durante o tempo que ele ficar na empresa.

Um exemplo: se um cliente gasta em torno de R$ 200 por mês, e continua usando o produto por 5 meses, nesse caso o Life Time Value é R$ 1000.

Como calcular o CAC?

Para calcular o Custo de Aquisição de Cliente é necessário somar todos os custos relacionados a vendas e marketing, e dividir pela quantidade de novos clientes conquistados durante um período determinado. Para se ter uma análise atual e eficiente, é recomendável que esse tempo não seja tão curto como uma semana, nem tão longo quanto um ano.

Vamos supor, por exemplo, que sua empresa conseguiu gerar 100 novos clientes no último mês, e que a soma dos custos citados foi R$ 5000. Nesse caso, para descobrir o Custo de Aquisição de Cliente, basta dividir 5000 por 100.

Como avaliar se o CAC é positivo?

Após calcular o CAC, é fundamental saber se ele está alto ou baixo e quão impactante isso é na saúde empresarial. Portanto, para ser positivo, o Custo de Aquisição de Clientes precisa ser consideravelmente menor que o Life Time Value.

A proporção ideal pode variar conforme os critérios da empresa — há quem considere que o CAC precise ser, pelo menos, de três a cinco vezes menor que o LTV, por exemplo. Seja qual for o seu padrão, é essencial estar atento a essa proporção, sobretudo se o seu negócio ainda depender de investimentos de capital e você quiser torná-lo autossustentável.

Como diminuir o CAC?

É bom fazer o acompanhamento constante do Custo de Aquisição de Cliente, pois ele é um influenciador direto na lucratividade da sua empresa. Para diminuí-lo, há uma série de boas práticas que simplificam os caminhos que trazem um cliente à sua base.

A primeira delas é disponibilizar a maior quantidade de informações, assim como demonstrações e cases de sucesso sobre o seu produto ou serviço para que o cliente possa compreender sua funcionalidade. Logo, educar o público com Inbound Marketing é outra boa dica para acelerar o ciclo de vendas, já que leads qualificados costumam tomar decisões mais rapidamente. 

Para isso, os departamentos de vendas e markerting precisam estar alinhados e trabalhar juntos de modo a compreender todas as etapas da jornada do cliente, e como trabalhá-las para que ele termine efetuando a compra. Por fim, fazer testes A/B é o ideal para analisar as estratégias de marketing, pois, quanto mais efetivas elas forem, mais o seu CAC poderá diminuir.

Veja também em nosso outro post Como medir o CAC: Custo de Aquisição do Cliente?

E então, você já está tomando ações para saber qual é o custo de aquisição de cliente dentro do seu processo de vendas? Deixe-nos o seu comentário aqui neste artigo e nos conte como tem sido a sua experiência!