O mundo corporativo envolve uma série de normas, exigências, padrões, obrigações fiscais e procedimentos legais. São elas que vão definir se o negócio poderá operar, sendo que qualquer falha nessas obrigações pode causar punições severas, como restrições e multas. Neste contexto, seguir as regras de compliance é essencial para o sucesso do negócio.

Por meio da implantação efetiva é possível utilizar as regras de compliance como um apoio em situações legais e éticas em relação ao negócio, fornecedores e clientes. Esse apoio pode ser realizado por meio de políticas que inibem práticas incorretas e criam padrões para atendimento da legislação vigente e demais particularidades do segmento de atuação.

No post de hoje, você vai conferir o que são essas regras e como implantar a função na empresa. Confira!

O que são regras de compliance?

O termo que denominamos compliance vem de um verbo da língua inglesa que podemos como “agir conforme uma regra, instrução ou comando”. Resumindo, podemos dizer que significa agir em conformidade com leis e regulamentos, que podem ser externos e internos, no contexto empresarial.

Desta forma, ao falar de conformidade, estamos afirmando que o negócio atende às normas, legislações e demais regras de acordo com as disposições dos órgãos competentes, assim como políticas e controles realizados internamente.

Como ocorre seu funcionamento estratégico?

A atividade de compliance surgiu, principalmente, em instituições financeiras que direcionavam as tarefas principalmente para a área jurídica. Com o passar dos anos, tornou-se necessário introduzir o conhecimento do negócio para que a atuação das atividades fosse mais efetiva. Ou seja, envolver todas as áreas para criar um ambiente que fosse correto por completo.

Assim, é por meio das regras de compliance que o negócio poderá alcançar os objetivos estratégicos, considerando que a conformidade permitirá construir os pilares necessários para sustentar a organização. Afinal, não é possível realizar novas atividades sem ter o devido controle e atendimento às normas em vigor.

Quais são os objetivos de compliance?

Os principais papéis de compliance na organização são a interpretação de legislações, análise de riscos, gerenciamento de controles internos, realização de projetos de melhoria e adequações, monitoramentos (em recursos tecnológicos, por exemplo), prevenção de fraudes, auditorias, gestão de políticas e fiscalizações.

Estas atividades permitem que o negócio funcione de acordo com as boas práticas e padrões do mercado, destacando a empresa e recebendo o reconhecimento das ações realizadas. Além da vantagem em relação à concorrência, também existe a possibilidade de atrair descontos em créditos financeiros, gerar valorização do negócio, melhorar a rentabilidade e imagem da organização.

Como ocorre a implantação?

Para a criação de uma área de compliance é necessário elaborar, com o apoio de especialistas, os códigos e políticas internos que sejam de fácil entendimento para todos os colaboradores e parceiros. Com a devida divulgação entre todos os envolvidos, é sempre importante mostrar que o exemplo vem de cima, possibilitando que as regras funcionem em harmonia com os processos existentes.

É essencial mostrar, perante o mercado, que a empresa trabalha em conformidade, garantindo a segurança das informações, atendimento às melhores práticas e padrões, oferecendo a credibilidade para o produto ou serviço ofertado. Comprovar a veracidade das informações por meio de documentos e indicadores será o diferencial para o sucesso das regras.

E você? Entendeu como as regras de compliance podem funcionar na sua empresa? Siga nossas redes sociais (Facebook e Linkedin) e não perca as novidades!